sábado, 27 de novembro de 2010

SOBERANO, O Brasil Visto de Cima

Novo projeto do Núcleo Cidade Futuro e Biosphera Cinema e vídeo retrata o Brasil de um ângulo diferente: visto das alturas.

Soberano, nasce da paixão por um país contraditório, grandioso, e desigual. A idéia original, nasce da necessidade de fazer um vídeo que mostre as diferenças do país, de norte a sul, as belezas da Amazônia em contraste com as cidades e portos de Manaus, do Pantanal ao centro de São Paulo, um projeto tão amplo contaria com orçamento pesado (inicialmente não seriam imagens aéreas) que o inviabilizariam, já que depende de leis de incentivo. 

Mesmo sendo imagens aéreas, o poder de aproximação do equipamento é imenso, captando o 
acontecimento de forma sutil, e com uma carga realista ainda mais eficiente.

A idéia então era criar algo similar a este projeto, mas com custo mais reduzidos, ou seja, estadias, numero de equipe e equipamentos deveriam ser reduzidos, mas sem perder qualidade e originalidade. Nasce assim, a idéia de fazer um filme documentário totalmente com imagens aéreas, com equipamentos de última geração que garantem a estabilidade das imagens. Muitos destes equipamentos vemos através dos telejornais diários como Jornal nacional e outros, que se valem das imagens aéreas para mostrar acontecimentos urbanos como invasão de favelas ou perseguições de veículos. Com os acessos aos equipamentos de alta resolução (full HD), e redução dos custos relacionadas com alta tecnologia de imagens, os dias atuais são os ideais para produções que antes seriam impensáveis em países como o Brasil. Outros diretores realizaram alguns trabalhos alternativos de grande qualidade no país como Marcelo Massagão com "Nós que aqui Estamos por Vós Esperamos" onde ele se utiliza de imagens históricas colocadas sobre as musicas de Wim Mertens. Já no Exterior Godfrey reggio realizou a trilogia Qatsi, com imagens do mundo associadas a música de Philip Glass (sem narração).


 Seria impossível fugir de certas realidades neste filme, uma delas é o crime de degradação ambiental 
sofrida nas florestas Brasil a fora, queimadas e retiradas de madeira da floresta ainda são acontecimentos 
recorrentes, e também podem ser vistos lá de cima.


Ás vezes uma imagem vale mesmo por mil palavras.

SOBERANO (Estilo cinematográfico)
A trilha sonora deste documentário possui grande importância pois o desenrolar tem a velocidade e o tom ditados por ela. Praticamente não existem diálogos ou narração durante todo o documentário, somente em pontos específicos, o que deverá ocupar cerca de 30% do filme. Para esta narração estamos na seleção de pessoas, mas nota-se claramente a busca de uma voz como a de Ferreira Martins (Bradesco, Hyundai), mas ainda em negociação. Já na trilha sonora, buscamos em Antônio Pinto o som ideal, que deverá compor em parceria com grupo uakti, na construção de uma trilha que lembre um pouco a obra de Philip Glass. Enquanto a primeira parte do filme trata da relação entre a natureza e a sociedade moderna, como indústrias, fábricas, extração de minerais e petróleo, já a segunda parte, através da justaposição da imagens de culturas locais e lugares inóspitos como o Sertão Nordestino e Brasil Central, mistura imagens antigas (construção de Brasilia), mistura com a da vida moderna, expõe o custo do "progresso" humano, ao mesmo tempo que mostra casos que deram certo entre a relação progresso/natureza/sociedade. Grande parte do filme acaba sendo ocupadas pelas belissimas imagens aéreas de cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Manaus, e recantos naturais como a Amazônia, Lenções Maranhensses, Pantanal, e litoral, assim como algumas ilhas oceânicas como Fernando de Noronha e Trindade.

SOBERANO, O Brasil Visto de Cima - realização Fabrício Leminski. trailer teste do projeto (não oficial), demonstração identidade visual e musical.  trailer: este vídeo demonstrativo revela em um único take, as grandes diferenças sociais do país.  A grandeza das favelas do Rio, em contraste com os bairros nobres.   Imagens Cesar Moraes e Marcelo Guru (não oficiais), montagem Adilson Bruno.


Manaus impressiona os estrangeiros que acham que as cidades brasileiras na Amazônia tem  infra-estrutura precária e impressiona até mesmo nós brasileiros, com tamanha onda de revitalização urbana e grandes obras - é uma metrópole em transformação.


A realidade dos grandes centros econômicos nacionais também estarão no foco da
produção, que irá retratar o poder e a riqueza comercial do Brasil.


No geral é um filme otimista, que retrata um país pronto para o futuro e desenvolvimento econômico, um país grandioso e com potencial enorme, mas não se priva de retratar também suas mazelas quando necessário. Como resultado final o filme lança uma imensa dúvida sobre a idéia de progresso, com seqüências que alternam imagens serenas com outras assustadoras e dilacerantes. Um espetáculo de imagem e som, um trabalho original, um estímulo emocional, espiritual, intelectual e estético. O filme visa uma harmonia perfeita entre direção, fotografia e trilha sonora, as três perfeitas e conduzidas por AYSSO Filmes e Biosphera Cinema e Vídeo respectivamente. Outro ponto de destaque na obra é a sua estrutura não-narrativa, que poderia facilmente se tornar um desastre, mas que é conduzida de uma forma que consegue passar sua mensagem de uma forma até mais eficiente do que seria por uma linha narrativa comum. 

Vídeo de uma das empresas em licitação para a realização do filme. Nota-se ai, 
a tecnologia empregada na realização de imagens fantásticas e com grande estabilidade.
 Pegando detalhes, ao mesmo tempo que valoriza a grandeza dos lugares retratados.  

Future nouveau projet et le Film City Center et biosphères vidéo montre le Brésil sous un angle différent: depuis la hauteurs. Souverain, né d'une passion pour contradictoires pays grand, et inégalement. L'idée originale, née de la nécessité de faire une vidéo montrant les différences du pays, du nord au sud, la beauté de l'Amazonie en contraste avec les villes et ports de Manaus, du Pantanal au centre de Sao Paulo, une projet impliquerait que le budget lourd de large (d'abord images aériennes ne sont pas) au pouvoir que depuis dépend de lois d'incitation. L'idée était alors de créer quelque chose similaire, mais avec un moindre coût, ou séjours, nombre de personnel et du matériel devrait être réduit, mais sans perte de qualité et d'originalité. Ainsi est née l'idée de réalisation d'un film documentaire entièrement avec des images aériennes, avec des équipements dernier cri pour assurer la la stabilité des images. Beaucoup de ces installations voir à travers les programmes des nouvelles quotidiennes comme le National Journal et d'autres qui s'appuient sur des images aériennes à afficher des événements tels que les taudis urbains ou de l'invasion véhicules poursuites. SOUVERAIN (style cinéma) La bande originale de ce documentaire a une grande importance parce que le cours a la vitesse et la tonalité dicté par elle. Presque pas de dialogue ou d'une narration au long du documentaire, seulement à des points spécifiques, ce qui devrait occuper environ 30% du film. Dans la bande-son, on cherche l'idéal sonore Antonio Pinto, qui composent en partenariat avec le groupe Uakti, de construire une piste qui ressemble un peu le travail de Philip Glass.

SOUVERAIN, le Brésil Visa Up - Fabricio Leminski réalisation. Test Project remorque (non officiel), démontrant une identité visuelle et musicale. Trailer: Cette vidéo démo montre en une seule prise, de grandes différences sociales dans le pays. L'ampleur des favelas de Rio, à la différence de la banlieue. Photos Cesar Moraes et Marcelo Guru (non officiel), Adilson Bruno assemblage. Dans l'ensemble c'est un film optimiste qui met en scène un pays prêt pour le développement futur et économique, et un grand pays avec un potentiel énorme, mais prive également lui-même de ses maux se rétracter en cas de besoin. Un spectacle de la vue et le son, une œuvre originale, un stimulant émotionnel, spirituel, intellectuel et esthétique. Le film vise à une harmonie parfaite entre la direction, la photographie et la bande son, le parfait et dirigée par trois films AYSSO biosphères, Film et vidéo, respectivement. Un autre point fort du livre réside dans sa structure non-narrative, qui pourrait facilement devenir une catastrophe, mais elle est menée d'une manière qui peut faire passer votre message de manière encore plus efficace que par un fil narratif commun.

9 comentários:

  1. mito bom apesar da musica sobrepor a narrração do locutor. por favor alguem poça verifivar isso .. obrigada

    ResponderExcluir
  2. Acabaram não falando qual a música do Brasil visto de cima

    ResponderExcluir
  3. Ou melhor qual a trilha sonora
    Do Brasil visto de cima

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No final nos créditos, veja o nome do compositor. O fato tem pouco mais de um minuto mas está lá. Boa sorte

      Excluir
    2. Não há menção ao compositor ou nome da música ou edição de músicas.

      Excluir
  4. Qual é o nome das músicas de fundo do Brasil visto de cima ?

    ResponderExcluir
  5. Uma delas tem o ritmo do DUOFEL, mas não consegui identificar a música. Pode não ser deles.

    ResponderExcluir
  6. Gostaria de saber o nome das músicas que toca no Brasil Visto de Cima. No episódio de Juiz de fora...

    ResponderExcluir
  7. A globosta é um lixo. Idiotas e babacas... essa merda vai falir, seus escrotos vermelhos vagabundos.

    ResponderExcluir